Instabilidade femoro patelar

É ocasionada por um desequilíbrio biomecânico, que atinge a articulação do joelho, mais especificadamente a articulação entre o fêmur e a patela. É o mal alinhamento do aparelho extensor, que é o conjunto de estruturas na frente do joelho (patela, tendão patelar e músculo quadríceps).

 

Articulação Femoro-Patelar

articulacaofemoropatelar

 

Diversas causas podem estar relacionadas, segue algumas delas:

 

  • Largura excessiva de pelve;
  • Joelho Valgo;
  • Fraqueza muscular dos músculos do quadril e da coxa, patela alta;
  • Insuficiência ligamentar, dentre outros.

Alguns sintomas:

 

Dor na região anterior do joelho ao subir e descer escadas, ao agachar e saltar, após longo período sentado, estalos ao andar e correr, sensação de areia dentro da articulação.

 

Diagnóstico:

 

O Exame físico deve ser realizado pelo médico a fim de avaliar prováveis insuficiências de partes moles, acometimento de estruturas articulares, além de fatores que afetem as forças e o alinhamento articular.

O tratamento depende da causa da dor no joelho, sendo geralmente conservador, baseado em técnicas de Fisioterapia.

Para  alívio da dor, recursos de eletrotermofototerapia (laser, gelo, terapia combinada) podem ser utilizados.

A fisioterapia específica visa melhorar o deslizamento da patela sobre o sulco troclear no fêmur, utilizando exercícios de fortalecimento muscular e correção biomecânica. Os resultados das sessões de fisioterapia vão depender das características individuais de cada paciente, podendo referir melhora entre 10 a 20 sessões.

 

Alguns exemplos de exercícios para essa musculatura são:

  • Elevação da perna para cima (com leve extensão de quadril);
  • Elevação do joelho mantendo os pés juntos;
  • Rotação do pé para dentro com elástico, mantendo a coxa parada;
  • Agachamento com força para abrir os joelhos, usando elásticos.

exerc

 

Exame radiológico


Radiografias simples em posições adequadas são suficientes para que possamos classificar as lesões. As incidências necessárias são AP, perfil 30 graus e axial patela 30 graus. Com esses exames podemos avaliar altura da patela, tipo de patela, ângulo troclear, tipo da tróclea, báscula da patela, alterações degenerativas.

A Tomografia Computadorizada (TC) especialmente se realizada pelo protocolo de Lyon fornece dados mais adequados que o Rx, portanto a realização pré operatória desse exame é necessária.

 

Altura da patela

altura-patela

Diversas técnicas cirúrgicas podem ser feitas com a finalidade de realinhar o mecanismo extensor do joelho:

As principais abordagens cirúrgicas incluem:

  • Liberação do retináculo lateral da patela– pode ser feito via artroscópica ou através de pequena incisão no aspecto lateral do joelho (não deve ser realizado como um procedimento isolado).
  • Reconstrução do Ligamento Femoro-Patelar Medial: Quando ocorre um episódio, normalmente há uma dor intensa, inchaço e incapacitação imediata, o paciente não consegue colocar a patela no seu lugar. Havendo três ou mais episódios bem definidos de Luxação femoro-patelar, a cirurgia será indicada, pois o afrouxamento das estruturas de contenção da parte de dentro do joelho (medial), fazem com que a ação muscular seja insuficiente em segurar a patela em seu trilho. A técnica mais usada cirurgicamente é a Reconstrução do Ligamento femoro-patelar medial. Para essa reconstrução é utilizado enxerto de tendões flexores (grácil ou semitendinoso), coletado através de pequena incisão no aspecto ínfero medial do joelho. Outra pequena incisão é feita no aspecto medial da patela e esta é preparada para receber o enxerto com a colocação de duas âncoras. A terceira pequena incisão é feita sobre o tubérculo adutor a fim de se identificar o ponto de fixação do Ligamento femoro-patelar no fêmur. O enxerto é colocado e fixado ao fêmur com um parafuso de interferência,mas podem ser outras técnicas.
  • Medialização da Tuberosidade Anterior da Tíbia (TAT) – neste procedimento, é feita uma incisão longitudinal anterior de cerca de 5 cm no aspecto ínfero medial do joelho e realizada a osteotomia da Tuberosidade Anterior da Tíbia (TAT), medialização desse fragmento (com ou sem rebaixamento associado) e fixação com parafusos;
  • Plastia do Músculo Vasto Medial Oblíquo – por meio de incisão longitudinal anterior e medial em torno de 4 cm na borda proximal da patela e exposição do músculo vasto medial, identificamos suas porções oblíqua e longitudinal, que são isoladas e transferidas lateral e distalmente por sobre a patela;
  • Trocleoplastia – é um procedimento maior, realizado através de uma incisão longitudinal anterior parapatelar (10-12cm), onde a tróclea é remodelada com ou sem o uso de enxerto ósseo e com ou sem a necessidade de fixação, de acordo com a técnica escolhida caso a caso.

 

 

 

 

admin